Decálogo dos cônjuges

I – Eleger a Deus como sócio majoritário da sociedade conjugal, deixando que Dele seja o voto-minerva em todas as decisões importantes da vida a dois.

II – Amar e respeitar, cada um, o outro cônjuge, assim como gostaria de ser amado e respeitado.

III – Alimentar, cada dia, o fogo sagrado do amor com o óleo da compreensão, da paciência, do altruísmo, do perdão e do carinho mútuo, para que a vida de casados seja uma extensão dos dias de namoro e noivado.

IV – Falar sempre a verdade um ao outro, porque a verdade, apesar de, às vezes, parecer dura, não machuca, mas edifica o caráter e solidifica as relações humanas.

V – Fazer do trabalho produtivo e honesto uma devoção diária, pois uma mente desocupada é oficina do diabo, mas o suor com que amassamos o pão de cada dia é uma prece a Deus, o remédio salutar para o tédio e o caminho da prosperidade.

VI – Não permitir que a interferência parcial, mesmo que bem intencionada, dos pais, dos parentes e amigos se constitua em barreira entre os que Deus, pelo casamento, fez “uma só carne”.

VII – Lembrar-se de que são de pequeninos gestos, palavras e ações que se constrói a felicidade ou infelicidade do lar.

VIII – Procurar cultivar a confiança mútua e delicadeza no trato, sabendo que o ciúme é a ferrugem que corrói as boas relações conjugais e as palavras duras suscitam a ira, mas a confiança preserva o amor, e as palavras brandas desviam o furor.

IX – Não permitir que o sol se ponha sobre as desavenças grandes ou pequenas do dia, nem que estas se coloquem entre os dois, na hora sagrada do repouso do sono.

X – Começar e terminar cada dia com uma palavra de gratidão a Deus pelo repouso do sono ou pelas fadigas dos afazeres cotidianos, dos problemas, das alegrias ou tristezas, porque todas as coisas na vida contribuem para o bem daqueles que amam a Deus.

Dicas para um bom relacionamento

I – Sempre pedir ajuda nas dificuldades para um líder ou pastor;

II – Estar aberto para mudanças, pois para o casamento cada um precisa abrir mão de algumas coisas, isto é o acerto das arestas, e muitas vezes vêm com dor, mas a recompensa é maior;

III – Ter sempre Jesus no namoro e no casamento, pois um cordão de três dobras não se rompe;

IV – Ter um diálogo constante;

V – Buscar santidade sempre, e evitar situações de tentação;

VI – Lutar e batalhar juntos para alcançar os alvos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
15 × 10 =