Atentos – O que fazer quando há traição

Cl. 4: 2-6 – Perseverai na oração velando nela com ações de graças, orando ao mesmo tempo também por nós, para que Deus nos abra uma porta à palavra, a fim de falarmos o mistério de Cristo, pelo qual também estou preso, para que eu o manifeste como devo falar. Andai em sabedoria para com os que estão de fora, usando bem cada oportunidade. A vossa palavra seja sempre com graça, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um.

Amigo (a) Internauta, hoje vamos tratar de um assunto que talvez você esteja vivendo, ou seja, O que fazer quando você percebe que o seu cônjuge o está traindo?
Normalmente tudo começa com desconfianças, dúvidas de caráter, mentiras, telefonemas ou e-mails duvidosos e inesperados que chegam de outras pessoas para confundir a mente e o coração trazendo a sensação de ser enganado (a), de ser passado para trás. De fato você nota diferenças de comportamento que na realidade tem lhe deixado preocupado (a), ansioso (a), desconfiado (a), irado (a) fazendo com que as suas emoções fiquem à flor da pele e vez por outra você se sente impotente não sabendo lidar com estas coisas e nem quais medidas tomar.

Veja algumas coisas para você analisar:

Provavelmente o drama que você tem passado seja igual à de muitas outras pessoas que engrossam as estatísticas das possibilidades de buscar o divórcio como solução. Sabemos que o quadro da traição vivida por muitos casais no mundo traz conseqüências traumáticas ao relacionamento conjugal e seqüelas enormes para a família.
Em alguns minutos eu gostaria de passar-lhe algumas dicas, algumas informações de como tratar esta situação sem, contudo precisar recorrer à separação litigiosa, ou seja, o divorcio.

1. É muito importante para você que está vivendo este drama tenha uma experiência com a pessoa do Senhor Jesus Cristo. De fato nada vai melhorar o seu relacionamento conjugal se você não tiver um encontro genuíno com o Senhor Jesus. Este encontro não é com a Igreja A, B, ou C, é um encontro com Jesus. E este relacionamento começa de fato através de uma oração simples dirigida ao Deus deste universo que espera de sua parte a disposição de reconhecer-se pecador (a) e que em suas mãos encontra-se a solução que você tato procura.

Através de uma entrega pessoal, individual você se torna um (a) filho (a) de Deus e como filho (a) você passa a ter o privilégio de obter as promessas do Reino de Deus reservadas a todo aquele que crê entre elas a de ser abençoa (a) em seu casamento.

2. Antes de tomar qualquer atitude contra o seu cônjuge faça a sua auto-analise crítica. O que estou lhe dizendo é que você deve avaliar-se a si mesmo e ver se existem algumas coisas: em suas atitudes, comportamentos, reações, que contribuíram para o afastamento dele ou dela.

Na verdade quando se está em um relacionamento conflitante, deseja-se apenas acusar o cônjuge e ao mesmo tempo se fazer de vítima. Por isso a avaliação é importante, pois você começa a pensar seriamente se você mesmo não foi a causa do afastamento dele (a).
Quem sabe faltou carinho, faltou o amor, compreensão.

Nesta avaliação você poderá verificar se durante os anos de vida conjugal faltou relacionamento sexual ou será que foi a denominação, ou em nome de algum grupo evangélico você deixou de se cuidar.

Quer ver exemplos:

Pra você esposa alguém lhe disse: que o uso de batom é errado, é pecaminoso, que depilação é do diabo, que ir ao cabeleireiro não é coisa de cristão ou vestir-se adequadamente tornaria você mais sensual e foi confiado nestas declarações, que não tem respaldo bíblico, (porque não se constrói doutrina em cima de alguns versículos e nem em cima de experiências de outrem) que você se tornou uma mulher desleixada e passou a evitar o seu esposo.

Será que talvez não foi o ciúme descontrolado, aquela maneira de controlar tudo, de perguntar sobre tudo, criticar todas as coisas e de ver maldade onde não existe o tem afastado de você.

Pra você marido: será que a sua impaciência, brutalidades, falta de romantismo, insensibilidade, ou também ciúmes doentios com superproteção achando-se dono de sua esposa.

O que será que provocou o afastamento da pessoa que você diz amar?

3. Procure aconselhar-se com casais que estão bem alicerçados em seus casamentos.
Nunca pessoas divorciadas devem ser procuradas para emitir opinião neste particular assunto. Eles passaram pelo problema e não tem como ajudá-lo baseado na sua própria experiência. Quase 100% das pessoas divorciadas irão lhe dizer que a solução pra você é o divorcio. Portanto você não deve procurá-los mesmo se forem cristãos. Eles perderam a autoridade de Deus nesta área no dia que se divorciaram.

Conheço particularmente situações de casais que deixaram de se aconselhar conosco para ir atrás pessoas não credenciadas e sobre tudo divorciadas para ouvir os seus conselhos e hoje estão também separadas.

4. Procure um bom conselheiro matrimonial.

Ele visa trabalhar com o casal e chegar a um bom termo sendo instrumento de Deus para abençoá-los através de conselhos, através de careações, através de tarefas, orações e principalmente de acompanhamento.

5. Sempre que houver desconfiança ou dúvida no relacionamento, procure saber com certeza a veracidade dos fatos. Nada é mais prejudicial para o casal do que condenar sem provas. Perante a lei todos são inocentes até que se prove o contrário.
Não dê ouvido a fofocas, a pessoas que abrigam maldade no coração e gostam de colocar lenha na fogueira.

6. Cultive um espírito de perdão. Crie hábito de perdoar pois é bíblico, é correto, é saudável. Nós somos seres humanos passives de cometer erros. Temos carências que precisam ser supridas. Perdão é uma delas, por isso perdoe sempre.

Tire a mágoa, o ressentimento, coloque amor no coração. Jogue fora o ódio, o rancor, a ira, a discórdia.

Crie em seu lar uma atmosfera de paz. Respire a paz, persiga a paz e harmonia e com certeza Deus o (a) ajudará nesta caminhada.

7. Procure criar o hábito da oração. Antes mesmo de qualquer diálogo com seu cônjuge aprenda a dialogar com Deus através da oração e da Palavra.

Através da comunhão diária com Deus as respostas virão, o que fazer nas mais variadas situações você terá respostas da parte de Deus, que tudo vê, que sonda corações e que tem prazer em mostrar o caminho de libertação para os seus filhos.

8. Por pior que seja a situação, divórcio não é a solução. A instituição criada por Deus que é a família não pode ser ridicularizada. Estamos vivendo intensas crises no casamento mesmo com pessoas que se dizem cristãs. Muitos deles pastores, obreiros, presbíteros, diáconos. Alguns têm optado depois de anos de vida conjugal pelo divórcio. O casamento é obra de Deus, portanto não podemos destruir o que ele criou. Pense nisto na hora de tomar a sua decisão.

Por: Pr. Nélson R. Gouvêa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
19 × 3 =