Superando as Distrações

“Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará”. – Mateus 6:6

Entre os inimigos da devoção, nenhum é tão nocivo como às distrações. Tudo o que excita a curiosidade, espalha os pensamentos, inquieta o coração, absorve os interesses ou desloca o foco de nossa vida, do reino de Deus dentro de nós, para o mundo ao redor de nós – isto é uma distração; e o mundo está cheio dela. Nossa civilização baseada na ciência tem nos dado muitos benefícios, porém ela tem multiplicado nossas distrações e assim tem nos ocupado mais do que tem nos dado…

O remédio para as distrações é o mesmo agora como era nos tempos primitivos e simples, a saber, oração, meditação e cultivação da vida interior. O salmista disse: “Aquietai-vos e sabei”, e Cristo nos chama a entrar no nosso quarto, fechar a porta e orar ao Pai. Isto ainda funciona…

As distrações devem ser conquistadas ou elas nos conquistarão. Portanto, cultivemos a simplicidade; desejemos menos coisas; andemos no Espírito; enchamos nossas mentes com a Palavra de Deus e nossos corações com louvor. Neste caminho podemos viver em paz até em um mundo distraído como este. “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou”.

“Senhor, é certamente duro e difícil afastar as distrações de uma civilização progressivamente baseada na ciência. Ajuda-me a cultivar a simplicidade, a ser satisfeito com menos coisas e a encontrar a paz interior que Tu podes dar numa vida de oração e meditação. Amém”

Tradução livre: Felipe Neto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
28 + 8 =