Guiados Pelo Espírito Santo

Índice

Lição Nº. 1 – Introdução

Lição Nº. 2 – Como é que Deus aparece?

Lição Nº. 3 – Como reconhecer o Espírito Santo quando Ele aparece.

Lição Nº. 4 – Quando o Espírito Santo que está dentro de nós nos fala

Lição Nº. 5 – Como é que você pode treinar o seu espírito para ganhar sensibilidade à voz do Espírito Santo que está dentro si.

Lição nº. 1 – Introdução

Nós somos ministros de Deus e, por conseguinte, somos servos, empregados de Deus. Evidentemente, nós devemos ouvir o patrão, o chefe. Isso é muito importante por vários motivos e um deles é que a obra é de Deus e Ele é quem tem a palavra final.

E por quê?

Porque um servo de Deus fica muitas vezes tão ocupado na obra, trabalhando para Deus, que perde de vista a noção de que Ele deve trabalhar com Deus.

E qual é a diferença de trabalhar para Deus e trabalhar com Deus?

Trabalhar para Deus é ter um conhecimento profundo da Bíblia, mas só faz o que acha que deve ser feito, porque está escrito. Mas, trabalhar com Deus, sabendo muito ou pouco, é perguntar ao chefe, o Senhor, o que é que se deve fazer e periodicamente receber as suas instruções, só assim tudo correrá bem. (Este é um grande segredo do ministério: “ouvir a Deus”).

Em minha caminhada, quando comecei a ver o  meu pastor, compreendi que não iria conseguir cumprir a minha chamada nos mesmos moldes do meu trabalho secular. O meu trabalho era muito mental, à base do raciocínio, com cálculos, métodos, livros, lógico. Então, quando comecei a estudar a Bíblia, vi que nela também tinha uma lógica, regras, “matemática” – se faz assim, acontece assado; se faz assado acontece assim e assim por diante – se perdoares, se fizeres, se semeares, falares isto acontece aquilo – (“matemática” da Bíblia).

Mas, eu compreendi a certa altura que, mesmo sabendo a “matemática” da Bíblia, eu não poderia operá-la como um profissional, não teria resultados, porque afinal de contas Deus é o soberano e Ele precisa estar sentado ao “volante” do ministério, da Igreja e da nossa vida pessoal.

Então, comecei a ver, qual era o segredo dos grandes homens de Deus – e um dos maiores segredos era ouvir e praticar a palavra de Deus, ou seja, construir a casa na rocha – ouvir o Espírito de Deus, ouvir a Deus.

Mt. 7:24-27 – “Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha: E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. E aquele que ouve estas minhas palavras, e as não cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia. E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.”

Comecei a trabalhar em mim mesmo. Às vezes nós pensamos que os nossos inimigos estão lá fora. Esses inimigos lá fora são os menores. Eu tenho descoberto ao longo dos anos que os maiores inimigos não vivem lá fora, vivem dentro de mim, ou seja, são as minhas manias, os meus “achos”, sou eu mesmo, são as minhas emoções, os meus pensamentos. Os maiores inimigos estão dentro de nós. Não estão lá fora. Então eu comecei a ver que eu tinha que mudar a mim mesmo. Eu tinha que mudar o meu estilo de vida, de pensar e trabalhar.

Isto aconteceu bem no início do meu treinamento para o ministério. Foi o início de uma caminhada em que eu fazia questão de aprender ao máximo “Como ser guiado pelo Espírito Santo”. Ele é a 3ª pessoa de Deus e está aqui na Terra hoje e é Ele quem guia cada um de nós, guia a Igreja, etc. Já houve uma época em que Deus, o Pai, esteve aqui na terra; depois foi Deus o Filho e agora estamos na dispensação do Espírito Santo.

Então se quisermos ter sucesso no ministério é importantíssimo que tenhamos a capacidade de ouvir a Deus.

Vou tornar a dizer – se quisermos fazer da nossa “profissão”, digamos assim, claro que não é profissão é uma vocação; como se fosse um trabalho de engenharia – vamos pegar as regras todas de Deus e praticá-las, fazer à “matemática” da Bíblia, isso não chega, não vamos muito longe. Esse é o motivo, em minha opinião, do porque de muitas igrejas, à face da Terra, não florescerem mais: põe de parte o mais importante de tudo que é ser dirigido por Deus. E como eu não estava habituado a este estilo de vida tive de mudar radicalmente. Eu estava habituado a ser guiado pela lógica, pela cabeça, por raciocínios por aquilo que se vê etc. E custou-me anos para me auto-disciplinar, buscar outro método de vida. Hoje, ao fim destes anos que sou salvo e faço isto, até parece lógico viver não pela cabeça, mas pelo meu espírito.

Outra coisa que eu queria compartilhar é o seguinte: quando eu estava no princípio da minha vida cristã, eu não sabia qual era a diferença entre o espírito e a alma. E então quando o pregador falava: “Deus falou-me”, eu estava convencido que Deus falou-lhe através dos pensamentos. Ele teve um pensamento bom de Deus, foi Deus que lhe falou. Olhe eu tinha muitos bons pensamentos. E eu me lembro, a certa altura da minha vida, eu era ainda um irmão, eu comecei a ficar baralhado, porque por vezes em minha cabeça havia dois versículos opostos para resolver um mesmo problema da minha vida, ou seja, suponhamos que eu tivesse certo problema na minha vida que eu queria resolver, então, eu orava, orava muito, jejuava muito, e então à minha cabeça vinham idéias contraditórias, mas todas da Bíblia. Por um lado eu me lembrava de versículos bíblicos que diziam para fazer uma coisa, por outro lado, eu me lembrava de versículos bíblicos para fazer o oposto. Então, eu ficava confuso e quanto mais vinham esses pensamentos, mais eu orava para ver afinal em que é que ficamos. Até que, glória a Deus, veio parar às minhas mãos um livro que ensinava como ser dirigido pelo Espírito Santo e isso foi uma grande revolução na minha vida, eu era apenas um irmão. Foi quando eu comecei a compreender: há um espírito, há uma alma e há um corpo. A alma é: os nossos pensamentos, as nossas emoções e a nossa vontade própria. O Espírito não está na cabeça – está na região das entranhas.

A Bíblia até diz que rios de água viva fluirão do vosso ventre e isso referiu-se Jesus ao Espírito Santo, e mais tarde ouvi o meu pastor dizer assim: a mente é o campo de batalha. Deus não fala à mente. Deus fala ao espírito. E ele apontava o espírito como estando na região da barriga. E eu disse: “Mas eu nunca ouvi tal conversa!” E eu fui buscar a Bíblia, fui ler a Bíblia, fui buscar os tais livros, fui consultar, verificar que estava tudo de acordo com a Bíblia e foi um choque na minha vida porque, nunca, ninguém, tinha ensinado tal coisa. Mas, ao mesmo tempo em que foi um choque, foi uma grande ajuda.

Eu comecei a compreender que toda aquela confusão que ia à minha cabeça, cada vez que eu buscava a Deus, e que vinham versículos por um lado para dizer para fazer uma coisa, por outro me vinham à idéia outros que diziam para fazer o contrário, eu comecei a compreender: “Deus afinal não vai falar à minha cabeça. Deus não fala à cabeça. Então, não é lá que eu tenho que ir buscar a Deus, não é nos pensamentos; eu não posso dar ouvidos aos meus pensamentos. Tenho que ir buscar Deus onde Ele está. Ele não está nos pensamentos”.

Hoje, muita gente, no mundo, anda a procura de Deus nos caminhos errados, como nós todos sabemos e pregamos bem.

Muita gente vai procurar Deus nos caminhos da bruxaria, da feitiçaria e nós condenamos isso. A Bíblia condena isso e ensinamos as pessoas a desistirem desses caminhos porque Deus não está lá. Mas, vamos pensar em todos os irmãos e pastores à face da terra que procuram Deus também onde Ele não está. Pense bem, quanto à bruxaria, idolatria, sabe que Deus não está lá. Mas, por outro lado também andávamos enganados porque julgávamos que Deus estava na nossa cabeça. E não está.

Esta descoberta foi algo tremendo, foi uma explosão e uma grande ajuda para a minha vida pessoal, antes até de ser pastor, porque como cristão eu era como todos os outros cristãos – eu queria agradar a Deus – eu queria fazer a vontade de Deus; eu orava, eu pedia direção a Deus, mas é como eu vos dizia: muitas vezes eu ficava confuso e ainda mais eu jejuava e orava. E o que eu tentava fazer? Não ia só buscar a Deus nos meus pensamentos, mas em sentimentos. Se eu me sentisse bem, se eu sentisse qualquer coisa, eu pensava: é Deus. Ora Deus não fala através de sentimentos. E pior até!  Eu cheguei a tentar buscar a Deus através de aparições. Ora Deus não aparece como eu quero. Deus aparece como Ele quer. Foi uma fase muito interessante. Claro que a gente vai estudando, vai orando, vai meditando, pensando, confrontando estes estudos com a Bíblia e não é num dia nem numa semana – vamos estudando. Até que ficou bem claro para mim: eu estava procurando ouvir Deus na minha cabeça onde Ele não está. E foi um choque. Deus não está na minha cabeça. Deus não fala aos meus pensamentos.

Então, eu ouvi um pastor ensinar que Deus fala ao espírito – e vi ele apontar para as entranhas, a região da barriga – é lá que está o nosso espírito –  e vi ele explicar pela Bíblia usando três versículos que de fato Deus habita em nós, mas não é na cabeça, nem nos pés, nem no nariz – mas na região das entranhas.

Então, comecei a ver como é que eu vou ouvir essa voz e que voz é essa, e o que é que ela fala. Porque eu comecei a pensar: “Se eu conseguir ouvir a Deus, a minha vida jamais será a mesma. Se eu conseguir pôr os meus pensamentos no chão, se eu conseguir desligar o rádio que fala mais alto e que grita em altos berros que é a minha cabeça, se eu conseguir fechar este rádio para ouvir a rádio de Deus que emite 24h por dia, mas que é baixinho, se eu conseguir ouvir essa voz e se eu estiver disposto a obedecer a essa voz, aí não há limites para aquilo que eu possa vir a fazer para Deus”.

E daí veio um grande desejo de eu procurar a Deus no meu espírito e de eu fechar os ouvidos para as emoções e cabeça e ouvir a voz suave e mansa que estava no meu espírito. Como eu nunca tinha ouvido nenhuma voz dessa eu não sabia o que esperar, nem como era. Então fui estudar, fui ouvir os homens que ouvem a Deus. Fui ler e aos poucos fui conseguir ouvir a Deus – não é de repente.

E hoje posso dizer uma coisa, é um dos maiores segredos à face da terra, uma pessoa conseguir ouvir a Deus. Porque ouvir a Deus não é fácil, mas quando se ouve a Deus é tremendo. Por quê? Porque se fizermos o que Deus disser, teremos sucesso garantido.

Mas, muitas vezes, Deus manda fazer coisas que não tem lógica, contrário às nossas emoções, contrário a tudo aquilo que pensamos. Mas, se estivermos certos que ouvimos a Deus, se soubermos que ouvimos a Deus e optarmos por obedecer a Deus {isso é outro grande segredo, porque há muita gente que sabe que ouve Deus, mas não estão preparados para obedecer a Deus, não querem pagar o preço, não estão dispostos a fazer a vontade de Deus porque acham que não é bem assim. Mas, se você perguntar: “Mas você tem a certeza que ouviu a Deus?” “Tenho a certeza absoluta!” “Então, porque é que não quer fazer?” “Porque eu acho que não é bem assim”. Ou seja, é uma pessoa que não está bem convencida que Deus é maior do que ele. É uma pessoa que não está convencida de que Deus sabe mais do que ele. Há pessoas assim}.

Bem, vamos voltar ao seguinte pensamento: vamos tentar ouvir a Deus. E depois vamos fazer o que Deus diz. Agora eu pergunto: “O que é que vai acontecer quando você ouvir a Deus falar para si e em seguida obedecer a Deus”? A sua vida vai ser uma maravilha. A sua vida vai ser um sucesso. Não estou a dizer que vai ser tudo um mar de rosas porque Deus não nos leva só por mares de rosas. Mas, você pode ter a certeza que você vai ter sucesso, que vai tudo bem, isso é garantido.

Agora é imperativo sabermos os prós e os contras de quem quer ir buscar a Deus, ouvir e depois fazer. Os prós é que vai tudo correr bem, mas o contra é que você vai ter uma luta tremenda na sua cabeça.

O seu pior inimigo é você mesmo. Sou eu mesmo. São as minhas emoções. É o meu passado. A minha experiência acumulada do passado que tem a mania de me dizer a mim que a minha experiência desses anos de vida sabem mais do que Deus. É uma mania que a gente tem. “Não, eu sei por que eu já fiz e aconteceu… então eu estou a dizer-lhe a si”… Então, o meu passado, o meu acumular de experiências, de emoções, de trabalho, etc., sabem muito mais do que Deus. Então, você vai ter um inimigo que é você próprio, o seu passado, as suas experiências passadas. Mas  também vai ter outro inimigo…

Vão ser os seus amigos, os seus colaboradores, o seu marido, a sua esposa, porque depois o diabo usa-se da pessoa mais próxima de si. Os prós são maravilhosos, mas há uma guerra a vencer e se você estiver nesta intenção – custe o que custar você vai começar a ouvir a Deus e depois custe o que custar você vai fazer a vontade de Deus.

Eu lhe digo o que é que vai acontecer: há de chegar o dia, que de tanto praticar – às vezes pode falhar aqui ou acolá, mas arrepende-se e continua a fazer o que sabe o que deve fazer, até que há de chegar o dia, um ano, em que você já está tão habituado a ouvir a Deus, a obedecer a Deus, que você pensa como é que eu andei tantos anos do lado de lá, já que este é o único caminho que funciona? E quando Deus fala é tão natural ouvi-Lo, reconhecê-Lo e praticar que se torna um estilo de vida.

Nos primeiros dias, nos primeiros momentos, nas primeiras vezes que você ouve a Deus e reconhece que é Deus, isso é um dom do Espírito Santo em operação – os dons do Espírito Santo: uma palavra de sabedoria, uma palavra de conhecimento, etc.; porque é raro acontecer você ouvir a Deus e reconhecê-Lo. Mas, daqui a alguns anos, de tanto praticar isto e viver nisto, de fato, você ouve com tanta regularidade a Deus falar consigo, que muitas vezes Deus fala assim e você já não sabe se é você ou se é Deus.

Então quando estiver numa reunião pública e o Espírito de Deus lhe disser certas coisas será muito fácil você repetir ao povo o que Deus lhe disser: “Olhe Deus está me mostrando aqui assim assim tal tal”. Depois acontecem coisas, porque de fato Deus disse. E depois o que é que acontece? As pessoas vão atrás de um homem de Deus onde isso acontece. O melhor e maior badalo que existe são os dons do Espírito Santo em operação numa Igreja. Sinais, maravilhas, vidas transformadas, mas para chegar lá você tem que pagar esse preço – ouvir a Deus, etc.

Portanto, é muito bonito a gente querer chegar ao domingo e dizer assim: “Vou operar nos dons do Espírito Santo”. “Olhe, irmãos, Deus está me mostrando que há aqui um casamento assim assim; que há uma pessoa que tem um filho assim assado”. Você não chega lá de repente. Mas, quando chegar, as pessoas hão de andar quilômetros, ao sol, à chuva, a pé, para ir onde Deus está. Elas vão ver Deus em si, elas vão acreditar pelos frutos que há lá qualquer coisa que acontece e é bom. Não há substituição para uma coisa destas, não há nada que substitua isto se você quiser ter mesmo sucesso. Você quer ter a sua Igreja cheia? Então ouça o que o homem de Deus está a dizer. Se quiser mesmo que a sua Igreja cresça então busque os dons do Espírito Santo. Busque o Espírito Santo. Busque o quê? Busque ouvir a Deus.

Agora, avançando mais um pouco nesta minha lição, eu podia perguntar a cada um de vocês o seguinte: Quem é que pode dizer que já ouviu a Deus? Toda a gente ia dizer: “Eu já ouvi a Deus”. Se eu agora perguntasse individualmente a cada um de vocês como é que você ouviu a Deus? Íamos ter as respostas mais variadas de todas. Ou seja, alguns iam dizer: “Eu senti”; outros iam dizer: “Eu pensei!” Outros iam dizer muitas outras coisas. Mas, se eu conseguir transmitir bem esta lição, você verá que muitas vezes Deus não lhe falou. E noutras ocasiões Deus lhe falou e quando Ele lhe falou você não reconheceu que era Deus.

E o objetivo deste estudo não é machucar você, mas é ajudá-lo nesta busca, que começará a fazer com mais intensidade: a busca de Deus. Porque você sabe que no dia em que começar a ouvir bem, sem interferências, então sim, a sua Igreja vai crescer como nunca. Não é que ela não esteja a crescer, mas vai crescer como nunca.

Lição Nº. 2 – Como é que Deus aparece?

Antes de você conseguir ouvir a voz de Deus, você tem que reconhecer a Deus quando Ele aparece. Parece uma coisa lógica, não é? Mas, é muito importante.

Por exemplo: se Deus aparecesse no seu quarto vestido e mascarado e você pensasse isto não é Deus, bem, Ele pode estar falando consigo, mas você já pôs uma barreira e diz: “Eu não vou ouvir esta pessoa… eu não vou ouvir isto porque isto não é Deus, então, pronto”.

Conclusão: Antes de você conseguir ouvir a Deus, você teráque reconhecê-lo quando Ele lhe aparecer, porque senão você não vai ouvir, não vai Lhe dar atenção. Parece evidente e parece despropositado dizer isto, parece que não é importante dizer isto, mas é!  Sabe por quê? Muitas vezes Deus aparece, mas o cristão não O reconhece. Aliás, não é um problema novo, é um problema velho.

Nos dias em que o Povo de Israel esperava por Deus houve muitas profecias. Toda a gente esperava que o Messias viesse. Não havia nenhum homem de Deus que não soubesse que o Messias estava prestes a chegar. O problema foi quando Ele finalmente apareceu aos filhos de Deus, os homens de Deus não reconheceram que Deus ia aparecer na forma de Jesus. Então, não O ouviram, não ouviram Jesus porque não reconheceram Deus em Jesus, ou seja, antes de uma pessoa dizer assim: “Eu quero ouvir a Deus, ouvir o Espírito Santo”, você tem que reconhecer a Deus, quando Ele aparece, da forma que Ele quiser escolher para aparecer, do jeito que Ele quiser, à hora que Ele quiser etc. Isso é imperativo. E há aqui, antes de tudo uma grande lição a ser estudada. E a lição é: Deus aparece quando Ele quiser, Ele aparece do jeito que Ele quiser, da forma que Ele quiser. Ele é Deus.

E então quais são as formas de Deus aparecer?

Bem, Deus aparece na forma de um homem, na forma de um burro, na forma de circunstâncias, na forma da Palavra, na forma de um pobre, de um doente, de um preso, na forma de um espírito, na forma de um anjo. Ele aparece de muitas maneiras. E é imperativo que você tenha o coração aberto para você receber Deus da forma que Ele quiser. Senão um dia Deus lhe aparece e você não O recebe.

Eu tenho para mim a seguinte regra que aprendi com um homem de Deus: Quando eu faço uma oração e está a muito tempo sem ser respondida, não é porque Deus não me respondeu, é porque quando Ele me apareceu, eu não O reconheci. Deus não é atrasado nem mentiroso! Ele responde a todas. Eu é que não O reconheci.

E hoje – há um versículo muito importante para mim:

Pv. 3:5-6 – “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas”.

Eu medito muito nisto. Por quê? Porque eu quero ouvir a Deus. Então, tenho que reconhecê-lo. “… reconhece o Senhor em todos os teus caminhos…”.

Às vezes, as coisas não correm como eu desejo. Às vezes, você planeja as coisas e elas não vão por esse caminho. E o primeiro pensamento que vem à sua cabeça e à minha é que o diabo está metido nisto. Mas, ao longo destes anos, mais da metade das vezes, eu já aprendi que não tem nada a haver com o diabo. É Deus. Foi Deus que me impediu. Foi Deus que me deu a mão como fazemos aos nossos filhos, quando eles atravessam a rua. Eles bem podem chorar, gritar e espernear, mas não os largamos, porque não queremos que eles se percam. E como eu peço a Deus para Ele não me largar a mão, Ele não me larga. E, às vezes, principalmente no passado, eu pensava que era o diabo e não é nada, era Deus. Só que eu não O reconheci. Deus aparece de muitas maneiras.

Uma das maneiras principais como Deus aparece é na forma de um homem de Deus, de um pregador.

Quando você entregou a vida a Jesus, você viu Jesus – só que você não sabe bem como é que o viu. Viu-O no seu espírito, porque você entregou a vida a um ser, a uma pessoa, que nunca viu. Estás a ver? Não foi a sua cabeça que viu Jesus. Não foram as suas emoções que viram Jesus. Foi algo que viu Jesus que você não sabe bem o que é. Só depois de estudar é que você começa a compreender que foi o seu espírito que viu Jesus.

Mas, quando você era criança em Cristo você não sabia que era o seu espírito que via Jesus. Então como é que você viu Jesus? Viu Jesus quando você olhou para o Pastor e acreditou que ele era um homem de Deus. Viu Jesus num homem de Deus e é isso que as pessoas vão ver em si.

E, também é muito importante, agora que você já é mais velho e até já é pastor continuar a ver Jesus num homem de Deus, porque se você não conseguir ver Jesus, num homem de Deus, vai ser muito difícil você ver Jesus ou ver Deus quando Ele lhe quiser aparecer de outra forma.

Há uma passagem muito interessante –  diz acerca do amor e amarmos-nos uns aos outros, é uma frase tremenda e uma grande verdade.

I Jo. 4:7,20 – “Amados, amemos-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.”

Como é que eu posso dizer que amo a Deus que nunca vi e não consigo amar um irmão que está cheio de Deus a quem eu vejo. E assim podíamos dizer o mesmo: “Como é que eu posso dizer que vejo a Deus, reconheço a Deus, de uma forma qualquer se eu não reconheço a Deus quando Ele me aparece na forma de um homem?” É uma impossibilidade! Há pessoas que tentam dizer isso: “Ah, mas esse homem tem defeitos.” Eu sei que toda a gente tem defeitos. Não há nem uma pessoa que não tenha defeitos. Aí é que está a beleza de Deus. Deus se usa de vasos imperfeitos para nos aparecer. O único vazo perfeito que nos apareceu aqui na Terra foi Jesus Cristo – Homem. Era homem e Deus ao mesmo tempo. De resto, todos os outros seres são imperfeitos. Mas, aí está o grande amor de Deus e a compaixão e a misericórdia de Deus.

Então, como é que Deus aparece? Através de um homem de Deus. Uma pessoa não consegue ver Deus num homem, vai ser muito difícil Deus lhe aparecer de outra forma. Ele nem sequer está a honrar a Deus.

Segundo, Deus aparece vestido de muitas maneiras. E nós temos que ter uma mente aberta e um coração aberto para Deus aparecer de muitas formas.

Uma vez pedi a Deus que me aparecesse, porque ouvi meu pastor dizer: “Deus me apareceu, sentou-se aqui na minha cama, falou comigo”. Então eu também orei isso. E, um dia, estava sozinho em casa e apareceu um bêbedo. Eu disse: “Este homem é um malandro. Ele não quer trabalhar. Vá embora, e fechei a porta. Estava no corredor, e estava escuro, porque as janelas estavam fechadas, e uma voz dentro de mim: “Estava nu, não me vestiste, estava com fome e não me deste de comer, estava na prisão não me foste visitar!”

Era a primeira vez que eu ouvia uma voz assim, achei que era lá fora. E pensei: “Quem é que está aqui? Não está aqui ninguém”. Mas, depois, isto tudo em segundos – “Não espera aí! Eu não estou a ouvir isto dos ouvidos! E depois veio este pensamento: “Mas, espera aí! Isto é um versículo bíblico!”. E lá na EB me ensinaram que Jesus e a palavra são um. E lembrei que o jovem Samuel ouviu uma voz idêntica dentro dele e então disse: “É Deus!” E depois disto então, a voz me disse: “Pediste-me para aparecer e eu te apareci, mas tu não me recebeste”.

Então corri, chamei o homem, dei-lhe de comer, etc. Porque Deus me apareceu. Não era como eu queria, em glória, em aparato, ali sentadinho ao meu lado para poder dizer quão grande eu era. Mas, Deus não quis aparecer assim. Isto era que eu queria. E então, eu aprendi uma grande lição. Aliás, comecei a aprender uma grande lição. Deus apareceu mas não era como queria.

Numa outra vez que foi incrível. Eu já reconhecia muito melhor a voz do Espírito Santo e já ouvia minimamente. E um dia estava a almoçar com um senhor já de idade, era um Pastor, e estávamos num restaurante qualquer, cheio de pessoas, no meio daqueles pratos todos, e de comidas, e de pessoas, nós evidentemente, falando de Jesus. Ele falou da experiência dele, como é que Deus o salvou e o que é que ele fazia, e de repente no meio daquela multidão toda, ele estava a falar, mas já não era mais ele. Ele julgava que era ele, mas não era ele porque, de repente, eu sabia que sabia, que era Deus que estava a falar para mim através da boca dele. Talvez ele nem falou aquelas palavras, eu é que ouvi aquelas palavras. E eu fiquei impressionado! Mas, o que Deus falou pela boca daquele homem, aquelas palavras, mudaram o meu ministério radicalmente.

E eu pergunto assim: “Se Deus me tem aparecido e eu não tivesse ligado nenhuma a Ele, será que estaríamos aqui hoje?” Não! Se Deus me tem aparecido e eu não O tivesse reconhecido: “Ah, isto era só Ele e tal porque eu acho isto e aquele outro e na minha cabeça e …”, será que estávamos aqui? Não estávamos. Eu tenho que me esforçar em reconhecer Deus da forma que Ele aparecer.

Estava longe de esperar …. estava longe que ele me aparecesse daquela maneira. Mas, Ele apareceu. Já viu isto?  Então, antes de eu poder ouvir a Deus eu tenho que O reconhecer quando Ele me aparece. Seu mais que vencedor! Seu conquistador!

Lição nº3 – Como reconhecer o Espírito Santo quando Ele aparece.

O Espírito Santo é a 3ª pessoa de Deus e Ele é um Espírito. Ele habita em 2 lugares ao mesmo tempo. É um fenômeno que ainda não percebi muito bem, mas é assim.

Primeiro, Ele é uma pessoa mesmo. É uma  pessoa que não tem um corpo igual ao nosso, mas é uma pessoa. E não tem cabimento aqui nesta lição – não tínhamos esse tempo todo – mas se fôssemos a Gênesis 18, se não estou em erro, diz: “Apareceu-lhe o Senhor nos carvalhais de Mamré“ apareceu a Abraão e depois a seguir diz que eram 3 pessoas, ou seja, Deus o Pai, o Filho, e o Espírito Santo. Então, o Espírito Santo também é uma pessoa.

Mas, Ele também habita dentro de si porque você entregou a vida a Jesus e Ele também habita dentro de si. Então, Ele habita em 2 lugares ao mesmo tempo. Agora, ouçam bem o que eu vos vou dizer  que isso também vos vai ajudar imenso a compreender Deus e a reconhecer Deus quando Ele aparece e a ouvir a Deus.

Você está numa reunião, em casa ou em qualquer lugar e de repente, sente uma forte presença a qual chamamos a Unção de Deus. O que é que isso lhe diz? Eu sei o que é que me diz. O Espírito Santo em pessoa está aqui ao lado. Porquê? Porque é que isto é importante? Já vamos ver mais a seguir.

Vamos supor que eu me encharcava de um perfume qualquer e que você estava de costas para mim e eu vinha de costas a uns 2 ou 3m, evidentemente com tanto perfume você ia logo sentir o cheiro. E se você soubesse que eu fosse a pessoa que usava este perfume você logo concluía: “Ele deve está aqui ao lado, eu estou sentindo o cheiro”. Você olhava para trás e ia me ver.

Ora bem, o Espírito Santo exala o seu cheiro. Que cheiro é este? É um amor tremendo, é um êxtase; é um sentimento que vocês já experimentaram. Então? Quanto mais forte for esse sentimento, mais perto ele está.

Porque isto é importante? Porque é importante reconhecer a presença do Espírito Santo?  Porque muitas vezes, não é sempre, tome atenção, vem pensamentos, aos quais você acha que são seus, mas não são – são pensamentos da Bíblia, são idéias que lhe vêm, é o Espírito Santo a falar-lhe.

Ou seja quando você está debaixo da influência do Espírito Santo, é preciso reconhece-Lo. Eu estou sentindo vontade de semear extra, estou sentindo vontade de perdoar. Então você tem que se compenetrar que foi o Espírito Santo que lhe apareceu, sentou-se ao seu lado e começou a lhe dar instruções. Daqui a uns segundos ou um minuto ou dois você já não sente nada. E aqui é que está o grande problema. Você precisa ter reconhecido Deus naquele momento e pegar numa caneta anotar num bloco e dizer: “Deus me apareceu aqui e me disse para eu fazer isto”. E agora ele foi-se embora e você já não sente nada.

E é aqui onde muita gente perde as batalhas. Amanhã já não sente nada, já não faz. Eu cá quando Deus me aparece, tomo noto e depois executo. E muitas vezes quando estou a executar, sinto tudo ao contrário. Mas, eu sei que ouvi Deus. E é aí que começa a guerra na mente – o campo de batalha. O diabo sabe que ouvi Deus, ele vê que estou a obedecer a Deus: “Tu és maluco! Isso não é lógico porque isto, aquilo e aquele outro!” Mas, eu já escrevi. Decidi dar ouvidos ao que Ele mandou e a minha cabeça que vá para onde quiser, mas eu vou fazer o que Deus me disse. É por isso, que eu cheguei até onde eu cheguei. Deus apareceu e eu fiz.

Veja! Quando aquele homem de Deus foi almoçar comigo e a meio do almoço, no meio de tanto prato e confusão Deus me apareceu e eu optei por receber de Deus do jeito que Ele me apareceu; segundo optei por obedecer. Eu comecei a fazer coisas que me custaram meses e meses de trabalho e muito dinheiro só porque eu reconheci Deus naquele almoço. Foi daí que nasceram os GFs. Portanto, não foi assim uma coisa fácil de fazer, foi uma coisa difícil de fazer, custosa, honerosa, mas deu muitos resultados. E foi uma coisa que eu nunca tinha sonhado, eu nunca tinha lido em parte nenhuma, nunca, nada.

Agora, veja o Espírito Santo em pessoa aparece ao seu lado.

Uma vez eu estava em Londres … tenho muitas experiências para contar, mas … esta já contei tantas vezes …vem a propósito. Ia a atravessar uma ponte num carro emprestado e o Espírito Santo veio a mim e estava ali ao lado, eu senti a presença Dele, doce, maravilhosa. Ele começou a me falar e me deu instruções. Passado um minuto ou dois, não sei, ele foi-se embora. Já não tinha mais emoções. Cheguei a casa peguei numa caneta, num lápis e tomei nota e durante anos eu fiz todos os dias o que Ele mandou fazer.

Não chega a gente reconhecer a Deus quando Ele aparece. É preciso dar ouvidos a Ele quando Ele aparece e depois fazer.

Às vezes, Deus até se farta de aparecer a pessoas, porque Ele aparece e elas não ligam nenhuma. Vai dizer mais o quê?

Uma vez … isto aconteceu comigo. Estava-me a preparar para uma reunião de Domingo e estava a buscar a Deus e Ele me tinha dito para eu fazer uma certa coisa. E eu disse: “Já vou!” Disse para mim. E Deus na Sua misericórdia disse para mim: “Olha, enquanto não fizeres isso, eu não te vou dizer nem mais nada … não te vou dizer mais nada”. E foi uma lição muito grande porque aquilo que Ele mandou fazer era tão simples que não tinha nada a haver com aquilo que eu queria. E Deus disse: “ Pois é, mas eu sou assim!”  Eu fui e fiz aquilo que Deus mandou fazer primeiro e logo a seguir Ele me disse o resto da conversa. Está a ver isto? Isto é muito importante. Portanto, há muitas pessoas que não ouvem mais a Deus, ou Deus não fala mais com eles, ou Deus não dá mais instruções porque eles não fazem o que Deus manda. Enquanto não fizer o que Deus …

Quando Deus chamou a Filipe, Lhe disse assim: “Filipe, vai ali para aquela esquina assim assim”. E o Filipe foi.

Imagina se Filipe tivesse dito assim: “Não, ó Deus, espera aí. Eu vou lá fazer o quê? E depois quem é que me paga o almoço quando eu chegar lá. Eu quero saber. E depois eu chego lá e quem é que me paga o bilhete de volta. Eu quero saber isso.” Você só tem que ir e o resto Deus lhe diz depois.

Isso é também um grande empecilho para a pessoa ouvir a Deus. Quer ouvir tudo, mas Deus não quer dizer tudo. A gente às vezes se esquece quem é o Senhor.  Por isso é que volta e não volta é bom a gente dizer Jesus é o Senhor. Diga comigo: “Jesus é o Senhor”. Ele é que é o Senhor e eu é que é sou o servo.

Imagina agora o empregado, você vai ao restaurante e diz assim: “Olhe, dê-me uma água mineral, dê-me uma sopa assim, dê-me um bife com batatas fritas”.

E o empregado vira-se e lhe diz: “Mas, você quer o bife porquê?”

Às vezes nós fazemos a mesma figura com Deus. Perguntamos a Deus o que é que vai acontecer depois, mas o que é que você tem a haver com isso? Tem é que obedecer.

Bem, o Espírito Santo quando lhe aparece em pessoa, você sente. Você tem um sentimento. E pode lhe aparecer quando você está numa reunião.  É muito mais comum acontecer isso porque evidentemente nós estamos todos lá para buscar a Deus e ele aparece. Mas, ele não aparece só ali. Mas, Ele pode lhe aparecer quando você está comendo, quando você nem sequer está orando, quando você nem sequer está pensando em Deus, Ele pode lhe aparecer.

Eu lembro-me que uma vez eu estava a tomar banho todo nu – sim porque eu tomo banho todo nu, não é verdade – e o Espírito Santo veio a mim e eu fiquei muito aflito e Deus pôs-me à vontade e disse-me: “Como se eu não te conhecesse desde que nasceste…”. Pronto.

Agora,  o Espírito de Deus pode lhe aparecer, pode lhe falar e não ser a 3ª pessoa de Deus que lhe aparece, mas é o Espírito Santo que mora dentro de si. Ele também mora dentro de si. Quando Ele fala você não tem necessariamente que sentir absolutamente nada, você não tem que sentir o mesmo da outra vez. É importante fazer esta distinção:

“Imagine que, por um lado,  eu aparecia todo perfumado pelas suas costas e você sentia o cheiro do perfume e você via: ‘Olha, o Pastor está aqui! Olha, para trás, então me vê!’ Mas, passado uns dias, eu lhe telefonava. O que é você vai cheirar? Não vai cheirar nada porque estou a milhas de distância. E o que é que você vai sentir? Não vai sentir nada, mas pela voz reconhece que sou eu.”

Ora o Espírito Santo que mora dentro de si pode falar de uma maneira tal que você não sinta nada. Mas, você tem que reconhecer Deus dessa forma também. Porque essa é a forma mais normal de Deus lhe falar e Deus quer na verdade  que você desenvolva a capacidade de ouvir o Deus que está dentro de si. Isto é muito importante.

Agora, veja! Você não pode obrigar Deus a aparecer-lhe pela presença do Espírito Santo.

Nunca se sabe quando é que o Espírito Santo decide vir ter consigo. Nunca se sabe quando é que Deus se usa de um homem para vir ter consigo e dizer-lhe seja o que for. Nunca se sabe, mas uma coisa se sabe que Deus lhe deu o Espírito Santo que mora dentro de si para o guiar 24h por dia.

Então, em vez de procurar Deus onde ele não está, procure-O onde Ele está todos os dias. É isso que eu quero dizer. Ele está aí dentro no seu coração. Mas, não pense que Ele lhe vai falar à cabeça porque Ele não vai. Não pense que Ele lhe vai dar emoções porque Ele pode não dar emoção nenhuma. Então, quando o Espírito Santo lhe aparece na forma da 3ª pessoa, você sente uma presença, mas quando Ele lhe fala no seu espírito você não sente nada.

Tudo o que está em mim louve ao Senhor!!!!  Aleluia!!!

Lição nº4 – Quando o Espírito Santo que está dentro de nós nos fala

Agora, nós vamos falar do seguinte aspecto:

Eu disse à bocadinho que o Espírito Santo está dentro de nós, foi-nos dado por Deus é “Paracletos” para nos ajudar, para nos consolar, para nos guiar todos os dias, 24 h por dia.

Então, eu tenho que desenvolver a capacidade de ouvir essa voz com mais exatidão. Eu é que tenho de fazer isso. E não posso estar à espera que o Espírito Santo – a 3ª pessoa de Deus – me apareça com os sentimentos fortes quando eu quero porque nem sempre Ele me aparece. Isto é muito importante.

Você tem que trabalhar em si próprio para regularmente dar ouvidos ao Espírito Santo que está dentro de si porque essa é a maneira nº1 de o Espírito Santo lhe falar. Ele está lá dentro de si. Foi um presente que Deus lhe deu para ajudá-lo 24h por dia; daí a importância de sermos cheios do Espírito Santo e até ultra-cheios – com o Batismo no Espírito Santo fomos até mergulhados no Espírito Santo, não é verdade irmãos?

Então veja! Às vezes, estamos tão ocupados fazendo coisas para Deus e coisas até boas – pregando, ministrando, visitando e sei lá que mais que a gente faz – mas tudo o que envolve a cabeça, envolve os pensamentos, as emoções, que sem querer descoramos o Espírito Santo que está dentro de nós, que nos quer guiar a todo tempo. E é por isso é que é tão importante nós nos treinarmos a ouvir essa voz, nos disciplinarmos a fechar o rádio da nossa cabeça – fechar os pensamentos que estão na nossa cabeça para conseguirmos ouvir a rádio de Deus.

Quando se trata do Espírito Santo estar dentro de nós há uma passagem bíblica muito interessante que vem no VT – eu tenho aqui algures, mas não me lembro onde é que isso está escrito. Em I Rs. 19:11-12 – “Ao que Deus lhe disse: Vem cá fora, e põe-te no monte perante o Senhor: E eis que o Senhor passou; e um grande e forte vento fendia os montes e despedaçava as penhas diante do Senhor, porém o Senhor não estava no vento; e depois do vento um terremoto, porém o Senhor não estava no terremoto; e depois do terremoto um fogo, porém o Senhor não estava no fogo; e ainda depois do fogo uma voz mansa e delicada.”

Deus deu uma lição a Elias – uma lição muito importante para nós, para os dias de hoje: Elias não tinha a Bíblia, não tinha escolas, o acesso à experiência de muitos outros homens de Deus que nós temos, a história deles na Bíblia. Não sabia o que nós hoje sabemos. Então, Deus quis lhe mostrar não fala através de trovões, nem de fogachadas, nem com grande espetáculo ou aparato, nem vendavais, mas fala através de uma voz mansa e suave. Veja se isto não é mesmo bom para os dias de hoje.

O sobrenatural de Deus ocorre dentro de si, Deus a lhe falar, não há trovoada nenhuma e mais ninguém vê nada, parece que está tudo na mesma e a todo o tempo Deus está a falar consigo.

Então, estamos a falar de Deus – do Espírito Santo, da 3ª pessoa de Deus que mora dentro de si.  Como é que Ele fala? Com uma voz mansa e suave.

Por vezes, temos em nossa cabeça um volume tão alto que abafa a voz do Espírito Santo dentro de nós. Estamos chateados com alguma coisa. Ou estamos cansados, com sono, ou estamos com fome … qualquer coisa que está a gritar mais alto que a voz de Deus. Mas, uma coisa é certa. Deus está sempre a falar. Ele é como uma estação de rádio que está sempre a emitir, 24h por dia.  Só temos é que ouvir. E por isso é tão importante que todos os dias façamos a meditação diária como deve ser, parando a cabeça; dando tempo para Deus falar – não é só a gente falar; é Ele falando conosco. E nessa meditação diária é importante a gente passar tempo na Palavra, orando e etc. e a voz da cabeça vai abaixando. Agora eu posso compreender porque é que a Bíblia fala de jejum. O jejum não é para mudar a Deus. Ninguém muda a Deus. Deus não se deixa mudar. Mas, é para mudar a gente, a nós próprios.

O objetivo do jejum devia ser este: (poucos cristãos fazem assim) o jejum é para mudar a mim mesmo, para eu conseguir ouvir a Deus. Jejum não é para eu encurralar a Deus: “Ó Deus olha que eu estou aqui com fome, hã… e tu vê lá se…” Não!  Ele não vai mudar por sua causa. Nenhum jejum muda a Deus. Então, o jejum é para mudar a nós. Ás vezes, as pessoas pensam que jejum é só deixar de comer. Não! Jejum é deixar de fazer alguma coisa que nós gostamos muito e que nos rouba o tempo de comunhão com Deus.

Por exemplo, eu gosto muito de computadores e têm sido muito útil para a obra de Deus. Mas, houve uma altura em que Deus me disse: “Tu estás precisando de um jejum de computadores!!!” E eu jejuei de computadores. Cada vez que eu tinha vontade de ir trabalhar no computador eu não ia. Era o jejum de computadores. Por quê? Porque eu estava precisando pôr no chão aquilo que estava a ocupar tempo a mais.

E há vezes em nossa vida sentimos Deus a nos falar – ainda há pouco tempo Deus falou comigo:  “Tu precisas gastar mais tempo comigo para Eu te dar certas instruções” – e eu fui buscar estes estudos, lembrar-me como é que Deus fala, para eu poder ouvi-Lo com mais clareza e poder seguir as instruções de Deus para que o Seu plano comigo pudesse ser cumprido à risca. Eu senti pelo Espírito de Deus que eu tinha que caminhar um caminho muito estreitinho, que não posso desviar-me nem para a direita nem para a esquerda para que a coisa funcione bem porque quando não, pode haver perigo. Deus está neste caminho, mas eu não posso ouvir só metade das instruções. Tenho que ouvi-las todas porque se faço metade certo, o resto estraga tudo.  As vezes o próprio Espírito de Deus o alerta para isto: “Tu tens que Me buscar; Tu tens que Me ouvir!”

As vezes, como é que Deus fala ao seu Espírito? De repente, dá-lhe vontade de estudar um certo tema da Bíblia. Ás vezes, são lições que você também já ensinou. Ou, às vezes, você não tem vontade, mas você precisa ir estudar aquilo. Eu sei que, quando isso vem a mim, o Espírito Santo diz assim: “Tu lembras-te daquela lição assim, assim? Olha, isso é para ti agora; Tu precisas de  te lembrar disso agora e depois praticar isso. Agora Tu precisas praticar isso!”

Por isso, é muito bom ser guiado pelo Espírito Santo. Eu me lembro que quando eu estava na Escola Bíblica comecei a aprender a fazer coisas da Bíblia – a orar em línguas, a fazer isto e aquilo – e chegou o momento que não havia meditação que chegasse; quer dizer,  se eu meditasse 24h por dia nunca conseguia fazer tudo o que eu já sabia. E esta? Diga se não é verdade? Se você quisesse, você fazia uma meditação tão comprido que nem dormia, nem fazia mais nada. É impossível, nem é de acordo com a vontade de Deus. Então, o que é que você vai fazer hoje? O que é que você vai fazer amanhã? Até isso, Deus o pode guiar.

Ás vezes, quando Deus não me diz nada eu tenho o meu roteiro; mas, quando Deus me diz: “Agora tens que fazer isto!” Eu quebro a minha rotina, ou vou estudar ou vou ler, ou vou meditar sobre aquele assunto porque é o Espírito Santo que me está a guiar: “Tu precisas disso agora!”

Se você deixar-se guiar pelo Espírito de Deus, às vezes, até no comer e no beber, Ele o guia: “Comidas que podem estar a fazer mal, bebidas – seja lá o que for!” Ele guia em tudo isso. Ele é Deus. Ele sabe tudo.

Tudo isto que eu estou aqui a falar é introdução para no domingo, ou no sábado, antes do culto ouvirmos as instruções de Deus.

Porque não me venha com conversas! A pessoa que não ouvir Deus desta maneira, não vá dizer a mim que ouviu Deus no domingo. Só por uma grande misericórdia … só por Deus estar a gritar: “Éeeeiiiiiiiiiiiiii!!!!!”.

Puxa! Mas, Deus também está farto de gritar. Isto tudo é uma preparação para você ouvir Deus cada vez melhor e melhor – aos sábados – para depois, no domingo ouvir ou fazer aquilo que Deus lhe mandou fazer no sábado.

Todos os manuais e lições são apenas esqueleto. E a unção de Deus está lá e por toda a gente estar em união, acontecem grandes coisas. E o que acontece numa reunião acontece em quase todas. Porquê? Porque foi o Espírito de Deus que comandou que as lições fossem assim para a nossa igreja. Mas, isso não retira a sua responsabilidade, de como pastor daquele rebanho local, ouvir a Deus para aquele rebanho. Você pode muito bem estar a dar uma reunião e, de repente,  o Espírito Santo diz: “ Olha, há aqui uma pessoa que assim, assim, assim … que é preciso isto, aquilo e aquele outro!” E você vai e faz.

Deus não é nenhum Deus de confusão. Cada rebanho tem as suas necessidades e Deus quer mesmo guiá-lo. E Deus vai guiá-lo. É o Espírito Santo que atrai as pessoas à sua igreja ao domingo porque vai confiar em si que você vai lhe obedecer.

Deus tem um sonho: é que você cada vez o ouça melhor e depois que O reconheça, que O obedeça e depois chega ao domingo você vai ficar admirado. As pessoas vieram não sei de que distância e você nem sabe porquê.  O Espírito Santo que foi buscar.

Ora bem, para terminar esta mini série sobre o Espírito Santo – podia-se dizer muito mais, mas muitíssimo mais sobre os dons do Espírito Santo.

Em I Cor. 12:1 – em algumas Bíblias há um erro. Têm escrito assim: “Acerca dos dons do Espírito Santo quero irmãos que sejam bastante ignorantes!!!” (Ah! Ah! Ah!) Esta tradução que nós temos, irmãos, é a verdadeira: Deus não quer que sejamos ignorantes. E depois diz várias coisas e depois diz aqui assim: “… que há diversidade de dons…” (vers. 5) “… que há diversidade de ministérios …”; e (vers. 6) que há diversidade de ministérios …” E depois começa a descrever os 9 dons do Espírito Santo.

Estes 9 dons do Espírito Santo são para todos os irmãos. Mas, para os que têm um ministério os dons são mais desenvolvidos. Trabalham com muito mais intensidade e nós temos que trabalhar nestes dons.

E você diz? Como é que estes dons operam? Bem, são os dons do Espírito Santo. É a maneira de o Espírito Santo lhe aparecer. Eu quero que você compreenda o seguinte:

Os dons do Espírito Santo não são nada mais nada menos do que o próprio Espírito Santo lhe aparecendo da forma que Ele quer e falando o que quiser falar. Para quê? “… para aquilo que fôr útil …” como está aqui escrito na Bíblia.

Não é para você ser nenhuma estrela, nem você brilhar e você dizer: “Olha, como eu sou um craque! É para você ser útil para a sociedade, para a sua igreja, para beneficiar alguém!”

Mas, se você não consegue reconhecer Deus quando Ele aparece, você não vai ouvir a Deus quando Ele lhe falar; então, os dons não vão operar eles são do Espírito Santo, não são seus. Os dons consistem em Ele lhe aparecer e você O reconhecer; Ele fala, você ouve e obedece. É isso. Então, para estes dons operarem é “importantíssimo” que vocês saibam e operem nestas primeiras lições que a falamos:

1.      Reconheça Deus quando Ele aparece – da forma que Ele quiser aparecer.

2.      Reconheça a voz de Deus quando Ele falar.

Lição Nº. 5 – Como é que você pode treinar o seu espírito para ganhar sensibilidade à voz do Espírito Santo que está dentro si.

Isto tudo é muito bonito, mas não vai ajudar muita gente a não ser que eu consiga compartilhar isto convosco.

Porque ganhar sensibilidade à voz do Espírito Santo que é a 3ª pessoa de Deus não é preciso sentir nada, porque até os incrédulos sentem. Um incrédulo quando vai à Igreja pela primeira vez e está lá a unção de Deus, ele sente e ele não é nada espiritual. Ele sente porque cheira. O Espírito Santo exala cheiro.

O que você precisa ganhar é sensibilidade à voz do Espírito Santo que está dentro de si, que habita dentro de si, 24h por dia, que quer falar, guiar, consolar, etc.

Como é que se faz?

1.      Medite na Palavra de Deus.

2.      Ore em línguas todos os dias.

3.      Pratique toda a Palavra de Deus

E o mais rápido possível

Porque é que está aqui escrito praticar?  Porque, às vezes, a mente faz guerra.

E quando sabe que é Deus, você tem que obedecer sem recorrer a lógica, nem desculpas, nem amizades, nem “achos” de ninguém. Pura e simplesmente tem que se habituar … você tem que se habituar a fazer o que Deus diz, quer compreenda, quer não; quer se sinta bem, quer não; quer digam o que disserem, você  tem  que habituar-se a si próprio, tem que disciplinar-se a si próprio a obedecer a Deus quando Ele lhe fala. Se você não se auto disciplinar a fazer isso, Deus chateia-se e deixa-lhe de aparecer tantas vezes, Ele vai fazer o mesmo que eu faço ou que você faz. Deus vai dizer assim: “Mas, vou lá aparecer a dizer o quê? Ele não faz nada do que eu digo!” Ele não lhe vai aparecer muitas vezes.

Mas, se você se disciplinar a obedecer a Deus nas vezes fáceis e nas vezes difíceis; quando gosta, quando não gosta, Deus vai dizer assim: “Espera lá! Eu posso falar à vontade com Ele que eu já sei que Ele vai-me obedecer … então os dons começa a operar cada vez mais e mais e mais.

Muitas coisas que Deus me mandou fazer, eu até diria, se calhar, que mais de 50% das coisas que Deus me mandou fazer eram coisas que eu não queria fazer. Mas, pode ter a certeza que por eu ter obedecido a Deus é que Deus me deu o resto da história e eu cheguei onde eu cheguei.

Se você pensa que Deus só lhe vai mandar fazer aquilo que você quer, esqueça toda esta lição; deite isto tudo fora. Vá para a praia porque não é assim. Não é nada disto. Absolutamente. Deus vai sempre mandar fazer coisas que vão ajudar. Deus nunca vai fazer coisas para o prejudicar a si. Nem tirar nada. Deus só o quer abençoar. Mas, você tem que se disciplinar e fazer uma decisão qualitativa.

O que é uma decisão qualitativa? Eu não abdico disto que é: cada vez que Deus me falar, eu vou fazer, custe o que custar. Então, Deus vai honrar a sua fé e vai abençoá-la.

Havia um homem chamado Abraão. A família dele era muito rica. Ele não tinha necessidade nenhuma. E um dia Deus lhe apareceu e não se esqueça que ele nunca teve nenhuma Bíblia, não teve experiência de anos de outros homens de Deus, não tinha nada para ler, nem nunca ninguém lhe ensinou nada sobre Deus, mas Ele sabia que Deus lhe apareceu. E ele abandonou tudo para ir atrás de um Deus que ninguém conhecia muito bem. E Deus disse assim: “… que isso lhe foi imputado como justiça”. O fato dele ter aceito a Deus aparecer como Ele quis, obedecido a Deus cegamente, fez com que Deus dissesse assim: “Pois a partir de agora vais ser abençoado”.

Você tem que tomar uma decisão, uma difícil decisão:

1º – se Deus me aparecer eu vou recebê-Lo como Ele quiser;

2º – se Ele falar eu vou fazer o que Ele disser custe o que custar.

Pensa que isto é fácil? Mas, aí é que está a benção? Porque no dia em que começar a comprometer e a dizer: “Ah,  isto e tal … isto é o Pastor que não está bem a ver a coisa e tal” E Deus aparece-Lhe na minha forma e você acha que não é bem assim ou pareço alguém ….e tal”. Já perdeu”! Não O reconhece, está a ver?

Por isso é que eu estou a dizer: nós temos que trabalhar nisto e não é um dia, uma semana, 1 mês, 2 meses, 3 meses, 1 ano, 2 anos, 3 anos até que você vai – que nem um ginasta – melhorando. Falha 1 x, mas acerta 2 ou 3; ou começa e falha uma data deles e acerta uma de vez em quando; não faz mal – não desista! Ninguém aprende de repente. Não pode é desistir! Tem que prevalecer. E ser sincero diante de Deus. Falhou?! Não faz mal! Levanta-se e continua.

E então, depois o que é que vai acontecer? Você vai ver os dons do Espírito Santo aparecer com mais freqüência; você vai ter a voz de Deus a falar-lhe com mais nitidez; você vai estar no domingo à espera que Ele lhe fale … Ah, isso é outro grande segredo.

Você está no domingo e chega à 3ª parte – que é a parte de ministrar – em vez de ir a correr: “Quem é que está aqui que ainda não recebeu Jesus?”, você espera em Deus e começa a louvar a Deus: “Irmãos, vamos esperar em Deus, vamos louvar ao Senhor”. E a todo o tempo você está a pensar: “Puxa, Senhor, o que é que queres que eu faça?” E ora em línguas. E começa a orar e a esperar em Deus. E, de repente, o Espírito Santo vem a si e diz: “Olha, faz assim, assim. Ora desta e daquela maneira … faz isto e tal, tal …”. E você faz o que Deus lhe diz … e toda a gente fica de boca aberta incluindo você próprio: “Puxa! Como é que isto aconteceu?” E pessoas dão palmadinhas nas suas costas e dizem: “Puxa! Este pastor é incrível!”

E você diz assim: “Glória a Deus! Toda a glória é de Deus porque eu apenas fui obediente.” Deus disse: “Faz assim”! E eu fiz! Que glória é que eu posso ter? E, então, se você fizer isto 1 domingo, 2 domingos, 3 domingos, 4 domingos há-de chegar o dia em que os irmãos estão sempre desejosos que chegue o domingo para ir à Igreja.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha loading...