Vai a Genebra

Foi  um  escocês,  John  Knox,  quem  ministrou  à  comunidade  dos falantes  de  língua  inglesa  em  Genebra  de  1556  a  1559,  depois  que  o auditório de Calvino foi reconsagrado.

John Knox nasceu em Haddington, na Escócia, em 1513, e pouco se sabe a respeito de sua infância. Contudo, ele foi grandemente atraído pela pregação  da  Reforma  de  George  Wishart,  que  foi  queimado  na  estaca  na frente do  Castelo de St. Andrews por ordem do arcebispo, cardeal David Beaton,  em  1546.  A  retaliação  dos  amigos  de  Wishart  foi  assassinar  o cardeal  dentro  de  seu  próprio  castelo,  o  qual  ocuparam  por  cerca  de  um ano, durante o que foram unidos por John Knox. Subseqüentemente, eles foram  assediados  por  uma  armada  francesa  —  a  influência  da  França  na Escócia por esse tempo era particularmente forte — e aconteceu de serem capturados. Knox foi sentenciado a 18 meses de serviço nas galés francesas, presumivelmente por sua fé e pela companhia que mantinha.

Após  sua  libertação,  Knox  rumou  para  a  Inglaterra,  onde  foi ordenado sacerdote da Igreja da Inglaterra. Ele tornou-se Capelão Real em 1551 e tomou parte na revisão do Segundo Livro de Orações de Eduardo VI. Com a ascensão de Maria Tudor ao trono, Knox fugiu para Frankfurt, onde ministrou a uma congregação de refugiados de língua inglesa. Ele fez uma rápida visita a Genebra e conheceu João Calvino. Sua congregação em Frankfurt  não  gostou  muito  de  sua  visão  avançada,  assim,  em  1555,  ele retornou  à  Escócia  para  trabalhar  pela  Reforma  ali.  Mas  ainda  não  era  a hora  e  uma  vez  mais  ele  teve  de  fugir  —  dessa  vez  para  Genebra,  onde ministrou de 1556 a 1559. Incidentalmente, seu nome pode ser encontrado sob  o  rol  da  Igreja  da  Santíssima  Trindade,  em  Genebra,  porque  naquele tempo ele era, obviamente, um ministro ordenado da Igreja Anglicana. Knox e Calvino tornaram-se amigos durante esse tempo, e foi devido à admiração de John Knox pela visão do sistema de organização e governo da  igreja  que  Calvino tinha  que  o  que  se  conhece  como  sistema presbiteriano se desenvolveu: uma série de cortes graduais, uma assembléia, um  presbitério,  um  sínodo  e  uma  assembléia  geral  que  concede  aos legisladores  oportunidade  de  opinar  em  matérias  eclesiásticas.  Foi  John Knox  e  seu  sucessor,  Andrew  Melville,  que  introduziram  esta  forma  de governo de igreja na Escócia. E hoje a igreja nacional, a Igreja da Escócia, é Presbiteriana.

Por: Rev. P. Logan Ayre

Fonte: Sitting in Calvin’s Chair.

Tradução: Márcio Santana Sobrinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
27 − 27 =